8.11.05

QUATERMASS 2005

O professor Bernard Quatermass é um dos personagens-símbolo da ficção científica britânica. Criado em 1953 pelo dramaturgo Nigel Kneale, ele foi personagem de 4 minisséries e três filmes antes da versão atual, representada ao vivo nos estúdios da BBC no dia 2 de abril de 2005, a primeira transmissão ao vivo da dramaturgia desde 1983. Como só sobraram dois dos seis episódios originais, achava-se que seria interessante registrar a série clássica, mas optou-se por condensar a minissérie original, de seis partes de meia hora, em um só programa de 105 minutos.

Para o papel principal, Jason Flemyng, o dr. Henry Jeckyll da 'maravilhosa' Liga Extraordinária. Flemyng sucede no papel a Reginald Tate (no 'Quatermass' original de 53, da TV), John Robinson (em 'Quatermass 2', de 1955, na TV), Andre Morrel (em 'Quatermass and the Pit' da TV, de 1959), Brian Donlevy (dos dois primeiros filmes de Quatermass da Hammer, respectivamente de 1955 e 1957), Andrew Keir (da versão da Hammer para 'Quatermass and the Pit', de 1967 - passa na TV como 'Um Túmulo para a Eternidade') e John Mills (da minissérie 'Quatermass Conclusion', de 1979). Seu Quatermass é pouca coisa mais velho que os astronautas (algo até esperado, nesse momento de 'Batman Begins' e James Bond de 30 anos, sem falar em tentar alguma interação com o público adolescente), perdendo um pouco da autoridade paternal que ele tinha sobre eles na série (e no filme) original.

A apresentação ao vivo foi estupenda, séria e tensa prá caramba. Tem suas limitações, claro. Troca-se o explosivo final na Abadia de Westminster por um, muito bem executado (mas mais modesto), no Museu Britânico. Houveram as atualizações, claro, agora trata-se do primeiro vôo espacial privado da Inglaterra, e o casalzinho que estava 'namorando' no feno quando a nave chega está, digamos, em atividades mais 'profundas'. Como toda transmissão ao vivo, é normal um ator ou outro estar nervoso esperando sua deixa para entrar,mas não ocorreu nada de anormal, ninguém atravessou, entrou com a fala errada nem esqueceu suas linhas (pelo menos que eu tenha percebido). Os efeitos especiais sofreram também, afinal não dá prá mostrá-los direito nessa forma de teleteatro (a famosa cena da mão do astronauta se transformando foi apenas sugerida, fora da tela), mas não se sentiu falta deles. São bem melhores que os da minissérie original, contemporânea da TV a manivela (melhorou nas séries subsequentes, que são menos toscas). Torce-se que os roteiros originais sejam reencenados também, de preferência como minissérie, e que se aproveite que Kneale está vivo e lúcido em seus 83 anos (foi consultor dessa nova versão de sua obra) para ele escrever alguma coisa a mais.

Previsões para ser lançado ou exibido no Brasil? Eu vejo alguns noticiários da BBC local e nunca vi nada anunciado por lá (nem da nova série do Dr Who, que dizem estar ótima), nem nos jornais (pode até já ter passado, mas eu não fiquei sabendo de nada). Em vídeo? Tomara que seja lançado, milagres acontecem (depois que saiu 'Pink Flamingos' por aqui eu parei de duvidar de muita coisa). Como não saiu em DVD nem na Inglaterra, pelo menos por enquanto parece difícil. Longa vida aos torrents!!!

Comments:
Thomaz, tou sentindo falta de novos posts.. Tem notícias do 3o. episódios de MASTERS OF HORROR?
 
Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?